A instalação elétrica de uma residência deve ser dividida em circuitos terminais. Isso facilita a manutenção e reduz a interferência entre pontos de luz e tomada de diferentes áreas. Conforme as recomendações da norma NBR 5410, a previsão dos circuitos terminais deve ser feita da seguinte maneira:

– Todos os pontos de tomada de cozinhas, copas, áreas de serviço, lavanderias e locais semelhantes devem ser atendidos por circuitos exclusivos.

– Os circuitos de iluminação devem ser separados dos circuitos de pontos de tomadas e dos circuitos independentes.

– Todo ponto de utilização previsto para alimentar equipamento com corrente nominal superior a 10 A, de modo exclusivo ou ocasional, deve constituir um circuito independente. Além desses critérios, o projetista precisa considerar também as dificuldades referentes à execução da instalação. Tensão dos circuitos da Residência

– Como o tipo de fornecimento utilizado nesse exemplo é bifásico, ou seja, existem duas fases e um neutro alimentando o quadro de distribuição, a tensão entre os circuitos foi distribuída da seguinte forma:

– Os circuitos de iluminação e de pontos de tomada serão ligados na menor tensão (127 Va), entre fase e neutro; – os circuitos independentes serão ligados na maior tensão (220 Va), entre fase e fase. Assim a corrente que passará por eles será menor;

– Quando o circuito de distribuição for bifásico ou trifásico, deve-se considerar sempre a maior tensão (fase-fase). No exemplo, a tensão é de 220 Va.

Atenção: Nas instalações elétricas residenciais, circuitos de 127 Va não devem ser ligados em uma única fase, mas distribuídos entre elas da forma mais balanceada possível.

Cálculo da corrente dos circuitos terminais

Obedecendo aos critérios estabelecidos pela norma NBR 5410 na Residência-modelo, o projeto deve possuir, no mínimo, quatro circuitos terminais:

– um para iluminação;

– um para os pontos de tomada;

– dois para os circuitos independentes (chuveiro e torneira elétrica).

Circuitos de iluminação: optou-se por dividir as cargas de iluminação em dois circuitos, mesmo sendo pequena a potência de cada um, pois, em caso de defeito ou manutenção, não é necessário desligar toda a iluminação.

Circuitos de pontos de tomada: optou-se por dividir as cargas dos pontos de tomadas em três circuitos, para não misturar no mesmo circuito os pontos de tomada da cozinha, da área de serviço, do corredor e do banheiro com os pontos de tomada da sala e do dormitório, conforme a recomendação 9.5.3.2 da norma NBR 5410.